Rio de Janeiro recebe roteirista egípcia

sex, 02/06/2017 - 10:52

Wessam Soliman escreveu três filmes dirigidos por seu marido, Mohamed Khan, e participa da abertura de mostra de cinema especial sobre o cineasta em junho na capital fluminense.

A roteirista egípcia Wessam Soliman estará na cidade do Rio de Janeiro no próximo mês para participar da Mostra de Cinema Egípcio Contemporâneo – Especial Mohamed Khan. Soliman é mulher do cineasta Khan, que faleceu em 2016 e terá seus filmes apresentados aos cariocas. A mostra já ocorreu em março na capital paulista e acontecerá no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) do Rio de Janeiro de 14 a 26 de junho.

Serão exibidos apenas filmes do diretor Khan, um total de 13 títulos. Soliman escreveu três filmes dirigidos pelo marido e os três poderão ser vistos pelo público no Rio: “Menina da fábrica”, “Meninas do centro” e “No apartamento de Heliópolis”. A roteirista fará a abertura da mostra no dia 14, às 18 horas, juntamente com a cineasta brasileira Susanna Lira e um dos curadores do evento, Amro Saad. Logo depois, às 19h30, será exibido “Menina da fábrica”.

Soliman vai falar sobre o trabalho do marido e seus posicionamentos. Khan é considerado um dos fundadores do neorrealismo no cinema egípcio e defensor das causas femininas. Os seus filmes abordam temas sociais e mostram uma sociedade egípcia pouco conhecida. A produção "Menina da fábrica", por exemplo, conta a história de uma operária e sua gravidez fora do casamento. O diretor é também um dos mais premiado cineastas egípcios contemporâneos.

Em informações enviadas à ANBA, a roteirista Soliman conta que vai abordar a experiência profissional de Khan e também o lado pessoal, assim como seus pensamentos a respeito de algumas causas. Saad, que também participa da abertura, falará sobre os problemas comuns entre Brasil e Egito, especialmente nas regiões mais carentes. Susanna Lira falará da realidade social brasileira do ponto de vista de uma cineasta. Ela é documentarista e seu trabalho é conhecido pelos temas dos direitos humanos.

 Soliman terá outra participação na mostra, no dia 15 de junho, em sessão comentada após os filmes “Meninas do centro” e “No apartamento em Heliópolis”, a partir das 17 horas. Esse será um bate-papo informal a respeito do trabalho da egípcia como roteirista.  Além dos filmes de Khan, outro longa-metragem com participação dela que se destaca é “Melhores Momentos”, de 2004, dirigido pela diretora egípcia Hala Khalil. Ela também escreveu curtas-metragens. A egípcia recebeu vários prêmios por seus roteiros, do Festival Internacional de Filmes Feministas de Salé, Prêmio Fundação Sawiris Cultural, entre outros.

Wessam Soliman conta à ANBA que essa será sua primeira vez no Brasil, país que conhece apenas pela literatura e cinema contemporâneo. Aí ela percebeu muitas questões em comum, principalmente nas favelas brasileiras e na periferia do Cairo. A roteirista costuma participar de eventos sobre o trabalho de Khan no Egito e exterior, mas principalmente os ligados aos filmes que ela escreveu. Os filhos de Khan, Nadine e Hassan, também são do cinema e são chamados para falar sobre o trabalho do pai, assim como os alunos do diretor.

Assim como foi em São Paulo, a mostra no Rio de Janeiro é uma iniciativa da produtora Oriente-se, de propriedade de Saad. A Oriente-se deve promover várias exibições do tipo com o objetivo de mostrar as particularidades e a diversidade do cinema e dos cineastas dos países árabes. Durante o período da mostra sobre Khan no Rio de Janeiro, haverá exibição de filmes todos os dias (excluindo dia 20 de junho), com uma a três sessões por dia.

Serviço:

Mostra de Cinema Egípcio Contemporâneo
Especial Mohamed Khan (1942-2016)
De 14 a 24 de junho de 2017
Centro Cultural Banco do Brasil
Rua Primeiro de Março, 66 – Centro – Rio de Janeiro – RJ
Ingressos: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia)
Informações: http://culturabancodobrasil.com.br/portal/1a-mostra-de-cinema-egipcio-contemporaneo-2/