ONU e Museu do Amanhã promovem no Rio diálogo sobre efeitos de mudanças climáticas sobre o deslocamento humano

qui, 31/08/2017 - 11:11
Publicado em:

 

O impacto das alterações climáticas nos movimentos migratórios globais e a capacidade de resposta das cidades são temas de debates no evento “Seminário Vidas Deslocadas - diálogos sobre Mudanças Climáticas e Mobilidade Humana”, que acontece no dia 05 de setembro (terça-feira) das 15h às 17h30, no Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro.

Trata-se de um desdobramento da mostra temporária “Vidas Deslocadas”, que está em cartaz até 10 de setembro no Museu. A inscrição é gratuita e pode ser feita no site. As vagas são limitadas.

Na ocasião, o ACNUR (Agência da ONU para Refugiados) apresentará as consequências da degradação ambiental e dos desastres naturais sobre situações de deslocamento forçado no mundo. A OIM (Agência das Nações Unidas para as Migrações) apresentará dados sobre o Brasil referentes a um estudo regional sobre migrações ambientais. E o ONU-Habitat (Programa das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos) terá foco no planejamento urbano e na preparação e resiliência das cidades neste contexto. Também estarão presentes especialistas da ONU Meio Ambiente e representantes do governo brasileiro e da sociedade civil.

“Debater questões sobre o clima está no cerne do Museu do Amanhã. Neste momento de diálogo e troca de conhecimento, propomos a reflexão sobre mobilidade humana forçada, quando milhões de pessoas no mundo são obrigadas a se mover, a cada ano, por causa de desastres naturais. E como os impactos da ação humana na natureza e no clima podem gerar consequências muito grandes para a população”, destaca o diretor de Conteúdo do Museu do Amanhã”, Alfredo Tolmasquim.

O seminário é o segundo de quatro encontros dos “Diálogos Estratégicos sobre Mudanças Climáticas”, uma iniciativa do Sistema ONU no Brasil que está sendo organizada pela ONU Meio Ambiente e que integra o Marco de Parceria para o Desenvolvimento Sustentável 2017-2021. Os “Diálogos” se relacionam com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e a Agenda 2030, que promovem o gerenciamento adequado de recursos naturais e reconhecem a contribuição dos diferentes movimentos migratórios ao desenvolvimento sustentável. O tema contribuiu ainda para a discussão do Pacto Global previsto pela Declaração de Nova York sobre Refugiados e Migrantes, adotado no ano passado por diversos países – inclusive o Brasil.

Vidas Deslocadas – Os participantes dos “Diálogos sobre Mudanças Climáticas e Mobilidade Humana” também poderão visitar a exposição fotográfica Vidas Deslocadas, em cartaz até dia 10 de setembro. Inaugurada como parte das celebrações pelo Dia Mundial do Refugiado (20 de junho), esta mostra temporária apresenta por meio de cenografia, textos e fotos algumas causas dos deslocamentos forçados em decorrência de mudanças climáticas e questões ambientais. A mostra tem o apoio da Agência France-Presse (AFP) e do ACNUR. Confira a programação completa no site.

Serviço:

“Diálogos sobre Mudanças Climáticas e Mobilidade Humana”

Data: 05 de setembro (terça-feira)

Horário: das 15h às 17h30

Local: Observatório do Museu do Amanhã (Praça Mauá, nº 1, Centro – Rio de Janeiro)

 

Crédito da foto: Vidas Deslocadas / Foto: Philippe Lopez/AFP