Na poesia de um egípcio, a vida vista das janelas

seg, 05/03/2018 - 22:39

 

Amro Saad mora em Brasília e lançou no Egito neste mês o seu segundo livro de poesias. Os versos, escritos em árabe, tiveram inspiração nas 'janelas' pelas quais o autor viu e vê o mundo, no Brasil e em seu país de origem.

O egípcio Amro Saad, que mora no Brasil há 13 anos, lançou o seu segundo livro de poesias neste mês em seu país de origem. Com o título “Janela ao Mar”, a obra foi escrita em árabe e traz 75 poesias sobre o que autor observou e viveu ao longo dos anos, no Egito e também no Brasil. A inspiração principal é a janela diante da qual a mãe do poeta se sentava, em Mansoura, cidade da família, por horas e horas, quando ele era pequeno.

A mãe era dona de casa e morreu quando o autor - caçula da família - tinha 14 anos. Ocupada em cuidar dos filhos, ela passava muito tempo dentro de casa e perto da janela que dava para a rua ficava por horas calada ou conversando. “Ela sempre olhava por essa janela e contava que já tinha tido vista para o Nilo”, diz Saad. Mas quando Saad era criança, a região já estava ocupada por construções e o que se via era a rua. No entanto, a direção da vista era o Mediterrâneo.

“Depois as janelas começaram a aumentar, vieram outras janelas na minha vida, a do avião, a do Brasil para o Egito”, afirma Saad. A visão dessas janelas é de onde partem as poesias do egípcio, que incluem o que ele percebeu enquanto seu país de origem se transformava política e socialmente. Saad começou a escrever as poesias do livro em 2011 e conta que em parte delas o Brasil está presente. “Sempre escrevi com base nas vivências no Egito, mas nesse livro comecei a sentir o Brasil também como uma terra de manifestações, escrevi sobre o Brasil”, afirma.

Saad conta que essas são janelas mentais, que ele também chama de janelas de tempo e lugar. “Vejo desde a janela da minha mãe até aqui”, afirma. O pai do egípcio morreu ainda antes da mãe, quando Saad tinha seis anos. “A partida dela mudou muita coisa em meus pensamentos”, diz, sobre a mãe. Segundo o poeta, se a mãe não tivesse falecido, ele não teria se mudado para o Brasil. “Foi uma autorização para eu explorar o mundo, outras janelas”, diz. E do Brasil ele consegue viver as suas duas realidades. “Estou no Brasil, mas também vivendo no Egito”, conta.

Isso porque o trabalho de Saad, no Brasil, é ligado ao idioma e à cultura árabe e egípcia. O poeta é formado em Contabilidade, mas é ligado às artes desde criança. Atuou no grupo de teatro da escola, depois no teatro da cidade. Na universidade, ele passou a escrever peças e poesias no dialeto egípcio popular, além de seguir atuando nas peças. Na família havia também convivência com a arte em função da presença de músicos e poetas.

Pouco depois de formado, Saad se mudou para o Brasil para casar com uma brasileira. O começo da vida no País foi trabalhando com contabilidade, primeiro em Palmas, em Tocantins, onde morou inicialmente, e depois em Brasília, onde vive até hoje. A mulher de Saad é de Goiânia, mas vivia no Tocantins quando eles se casaram.

Alguns anos depois, Saad começou a trabalhar com tradução simultânea, e mais adiante abriu a Oriente-se, empresa que faz organização de eventos, tradução simultânea em vários idiomas e promove atividades culturais sobre o mundo árabe, como mostras de cinema e exposições. A Oriente-se trabalha com uma equipe de tradutores intérpretes em vários idiomas, desde o árabe até inglês, espanhol, francês, chinês, japonês e outros. O diferencial são os idiomas orientais.

“Janela ao Mar” é o segundo livro de poesias de Saad. O primeiro se chama “Pedaços do Caminho” e também foi publicado apenas em árabe. O egípcio diz que essa nova obra é uma continuação da primeira. O poeta quer traduzir o livro para o português. No Egito, a obra pode ser encontrada nas livrarias do país e no Brasil pode ser comprado por meio da Oriente-se.

Saad viajou para o Egito no final do ano passado e conta que não tinha planos de publicar as poesias. Mas a data coincidiu com o período que antecedeu a Feira Internacional do Livro do Cairo, que ocorreu em janeiro, e o autor acabou sendo chamado para várias leituras de poesias em eventos. Dessas leituras resultou a oportunidade de publicar seus versos por uma editora local, a Dar Isis. A obra foi apresentada durante a feira de livros e também houve um evento de lançamento na sede da editora.

Serviço

Livro Janela ao Mar
Autor: Amro Saad
Idioma: árabe
Compras no Brasil: https://www.orientse.com/
Compras no Egito: nas livrarias locais