Líbano terá festival de cinema brasileiro

qua, 31/08/2016 - 14:47
Publicado em:

Os libaneses amantes de cinema poderão curtir o Primeiro Festival de Filmes Brasileiros, que ocorre de 31 de agosto a 03 de setembro, em Beirute. O evento irá promover a exibição de obras nacionais e coproduções entre Brasil e Líbano, tudo com legendas em inglês. A organização do evento é da embaixada do Brasil em Beirute, do Centro Cultural Brasil Líbano e do Metropolis Cinema, onde os filmes serão exibidos.

“A gente participa todo ano do Festival Ibero-Americano [de Cinema de Beirute], em novembro, com um filme, e temos tido sucesso todos os anos. Então, vimos a oportunidade de divulgarmos nossa produção audiovisual e decidimos fazer o festival”, explica Najua Bazzi, diretora do Centro Cultural Brasil Líbano.

No evento brasileiro serão exibidas as produções nacionais Nise: O Coração da Loucura, de Roberto Berliner; Órfãos do Eldorado, de Guilherme Coelho; Casa Grande, de Fellipe Barbosa e Mãe só há uma, de Anna Muylaert. O festival também irá apresentar os curtas Lebanon Wins the Word Cup (Líbano ganha a Copa do Mundo), de Tonny ElKhoury e Antony Lappé; e Apelo, de Bechara Mouzannar.

Os curtas são de diretores libaneses, mas têm o Brasil como tema ou como cenário das obras. “O Lebanon Wins the Word Cup tem uma abordagem do Brasil muito positiva. Ele mostra que a guerra [civil do Líbano] foi interrompida em 1982 no dia do jogo entre Brasil e Itália para que as pessoas assistissem [à partida]”, conta Bazzi.

Segundo ela, os filmes foram selecionados considerando seu ineditismo no Líbano, as premiações recebidas e a diversidade dos assuntos abordados. A primeira noite do evento será gratuita e terá ainda a realização de um coquetel aberto ao público. Na última noite, na qual serão exibidos os filmes libaneses, os diretores Tonny ElKhoury e Bechara Mouzannar participarão de um bate-papo com o público.

Para Bazzi, Nise: O Coração da Loucura, filme que abre o festival, mostra o empoderamento da mulher, tema ainda sensível no Líbano. “Ele mostra a história de uma enfermeira que luta para mudar o modo dos tratamentos psiquiátricos no Brasil na década de 50. Ela sofre muito com a zombaria dos médicos”, diz. A diretora destaca que a escolha do filme também é uma maneira de mostrar que o Brasil tem gêneros variados de cinema.

Ela diz ainda que, no Líbano, a maior parte das salas de cinema também fica dentro de shoppings centers, como nas grandes cidades do Brasil. O Metropolis Cinema, no entanto, é uma exceção. “É uma sala de exibição mais antiga, que dá espaço para festivais e cinema alternativo”, ressalta.

No país árabe, o cinema norte-americano é bastante popular, mas o cinema local e o francês também contam com um bom espaço nas salas de exibição. Isso não deixa de fora os filmes de outras origens, afirma Bazzi, já que o Líbano tem uma grande população de diferentes nacionalidades. “O cinema ibero-americano está presente todos os anos com seu festival e é apreciado. As pessoas curtem”, conta.

 

Serviço

Primeiro Festival de Filmes Brasileiros

De 31 de agosto a 03 de setembro

Coquetel de abertura no dia 31 de agosto, às 19h

Local da abertura e das exibições: Metropolis Cinema

Ingresso: oito mil libras libanesas (cerca de R$ 17)

A programação completa está disponível no link http://migre.me/uHfI