Professor brasileiro vai à final de prêmio em Dubai

qua, 15/03/2017 - 11:11
Wemerson da Silva Nogueira é um dos dez finalistas de premiação global para professores promovida pela Fundação Varkey e patrocinada pelo emir de Dubai. Ele estará na cerimônia de entrega no dia 19, no emirado.

Um brasileiro do Espírito Santo é um dos dez finalistas do Global Teacher Prize, prêmio mundial para professores, e vai participar da cerimônia de entrega em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, no dia 19 de março. Wemerson da Silva Nogueira concorre com um inglês, uma paquistanesa, um espanhol, uma alemã, uma jamaicana, uma canadense, um australiano, uma chinesa e um queniano. O vencedor será anunciado na cerimônia.

A premiação é promovida pela Fundação Varkey, com patrocínio do xeque Mohammed Bin Rashid Al Maktoum, vice-presidente e primeiro-ministro dos Emirados e emir de Dubai. O objetivo é reconhecer professores excepcionais, cujo trabalho têm impacto na vida dos seus alunos e das comunidades ao redor. A fundação trabalha para melhorar os padrões de educação de crianças desfavorecidas no mundo e vai dar US$ 1 milhão ao professor escolhido.

A viagem a Dubai será a primeira internacional de Nogueira. “Já me sinto um vencedor por estar entre os dez finalistas”, afirmou à ANBA o capixaba, dizendo ainda que não imaginava que sua primeira viagem ao exterior seria para um país que ele considera “um dos melhores do mundo”. O capixaba ficará cerca de uma semana no emirado e durante este período participará de uma série de atividades voltadas à educação.

Em Dubai, Nogueira dará uma aula a professores durante o Global Education & Skills Forum, evento voltado para a educação que ocorre nos dias 18 e 19 e onde também acontecerá a cerimônia de entrega do prêmio aos professores. O brasileiro, assim como todos os demais finalistas do Global Teacher Prize, vai falar em uma Master Class sobre sua experiência e didática inovadora. A aula dele, de meia hora, vai ocorrer no dia 19 às 11 horas.

A escolha do brasileiro ocorreu em função da sua trajetória profissional como um todo e não por um projeto individual. Nascido em Nova Venécia, interior do estado do Espírito Santo, e filho de agricultores, Nogueira se formou em Ciências e Química em 2012, em um curso à distância pela Universidade Metropolitana de Santos (Unimes).

sala
Professor dá aulas com didática inovadora

 

Atualmente com 26 anos, ele começou a carreira dando aulas de Ciências na rede pública municipal de Nova Venécia e depois ensinou Química na mesma cidade. Mais adiante foi lecionar Química e Ciências para o Ensino Fundamental e Médio no município de Boa Esperança, também no Espírito Santo. Desde o começo deste ano ele dá aulas na Faculdade Multivix, em Vitória, capital do estado. Ele ensina Química a alunos das Engenharias e Educação Ambiental na Pedagogia.

A vontade de inovar no ensino veio em 2012, quando ele começou a dar aulas e se deparou com uma situação escolar difícil, com alunos desinteressados pelas aulas e um ambiente com propagação de drogas e criminalidade. “Eu vi a necessidade de fazer algo que pudesse melhorar a vida deles”, conta, sobre os estudantes. Umas das iniciativas criadas foi um programa pelo qual os próprios alunos difundiam na comunidade e em casa o combate às drogas e ao crime.

Além de iniciativas como estas, Wemerson da Silva Nogueira sempre levou os estudantes para fora da sala de aula e muitas vezes ensinou enquanto passeava com o grupo pela comunidade ou embaixo de uma árvore. Em Nova Venécia, quando abordava na escola o tema da água, por exemplo, levou os alunos à estação de tratamento de água local. “Eles não sabiam como a água saía suja do rio e chegava limpa à casa deles”, relata o professor.

O capixaba já ganhou mais de dez prêmios por seu trabalho de professor. Nogueira elogiou a iniciativa do Global Teacher Prize e o apoio do xeque Maktoum. “É um trabalho fantástico de valorização do professor, tem que servir de exemplo para todos os países”, afirmou o brasileiro, sobre o trabalho da Fundação Varkey.