Exposição de arte árabe é aberta no Metrô, em São Paulo

seg, 27/03/2017 - 23:51

 

Uma exposição sobre arte e artesanato árabe foi inaugurada no último sábado (25) na Estação São Bento do Metrô de São Paulo para lembrar o Dia da Comunidade Árabe, comemorado em 25 de março. Lideranças da Câmara de Comércio Árabe Brasileira, autoridades e representantes da comunidade participaram da abertura da mostra.

A exposição é promovida pela Câmara Árabe em parceria com Metrô. “Mostra uma outra face do árabe para a população, é muito gratificante ver as pessoas parando para ver as obras, perceber essa curiosidade, essa atenção com os árabes”, afirmou o presidente da Câmara Árabe, Rubens Hannun, ressaltando ainda que a mostra está integrada à população e que ocorre na estação de metrô mais próxima da rua 25 de Março.

arte 2

Hannun abriu a exposição juntamente com o secretário estadual de Cultura, José Roberto Sadek, o presidente do Conselho Superior de Administração da Câmara Árabe, Walid Yazigi, e a chefe do Departamento de Marketing Corporativo do Metrô de São Paulo, Fernanda Noer.

“Estou feliz porque as pessoas saem do trem e vão direto ver”, afirmou a curadora da mostra, Silvia Antibas, que também é diretora de Cultura da Câmara Árabe. Atrair uma grande quantidade de público era o objetivo, segundo ela. O diretor geral da Câmara Árabe, Michel Alaby, também ressaltou que essa é uma mostra da artesania árabe para o povo brasileiro.

A exposição é um retrato da riqueza cultural do mundo árabe. Em um espaço protegido por vidro na estação é possível ver peças como uma pequena oliveira em ferro com bolinhas pretas representando azeitonas, vinda da Tunísia. A beleza do trabalho artesanal em prata chama a atenção em um bule e um canudo para guardar documentos de Omã.

Outra peça que se destaca pelos detalhes é uma cuia em madeira vinda do Sudão. O objeto, que se assemelha a uma tigela gigante, tem dentro dele desenhos de girafas. Contornando a peça estão pequenos animais, como zebra e leão, talhados em madeira também. Ainda de terras sudanesas é possível ver uma bengala feita de madeira, em preto e prateado.

Do Líbano, a mostra tem um conjunto para servir chá, com bule cercado de pequenos copos em cerâmica e vidro. Um pequeno barco em madeira dá uma mostra do artesanato feito no Kuwait, juntamente com um baú em madeira e metal trabalhado. Em um quadro vindo da Jordânia, os mosaicos dão forma ao desenho de uma árvore.

Da Palestina, a peça não poderia ser mais simbólica. Um quadro de madrepérola traz a figura de duas pombas da paz. Há ainda na exposição objetos como uma espada dourada de Omã, mesa em marchetaria da Síria, quadro mostrando porta feita em prata da Tunísia e astrolábio da Síria. Em um quadro ao lado das peças está um cartaz com QR Code, pelo qual o público pode acessar informações sobre o artesanato de cada país ao qual o objeto pertence, por meio de aplicativo. 

Fazem parte também da mostra um bule de ferro e cobre da Mauritânia, vaso em cerâmica do Marrocos, prato de cobre ilustrado da Líbia, pote em cerâmica da Jordânia, adagas do Iêmen, quadro em cerâmica e madeira dos Emirados, prato de metal do Egito, peça em gesso e madeira do Catar, conjunto de colar e brincos esmaltados da Argélia, tapeçaria e peças em madeira da Arábia Saudita, entre outros.

O decano do Conselho dos Embaixadores Árabes no Brasil, Ibrahim Alzeben, que também é embaixador da Palestina, esteve presente na abertura da mostra e felicitou a Câmara Árabe pela iniciativa e por realizar a exposição em um local tão frequentado. “Todos que passam por aqui terão uma ideia da nossa cultura”, afirmou ele à ANBA. Os objetos apresentados fazem parte do acervo que a Câmara Árabe montou em 65 anos de atividades e são presentes recebidos dos países. 

O secretário estadual de Cultura ressaltou a diversidade artística apresentada. “Esse tipo de exposição é muito importante porque revela uma variedade do artesanato dos países árabes. Eles chamam ‘árabes’, mas cada um tem uma personalidade distinta”, afirmou Sadek. Ele citou ainda a qualidade do artesanato da região. “Aqui nós podemos ver como são sofisticados e elaborados esses artesanatos”, disse. A exposição também atesta, segundo ele, a proximidade entre as culturas árabe e brasileira.

A mostra faz parte do programa Linha da Cultura do Metrô de São Paulo. A chefe do Departamento de Marketing Corporativo do Metrô  afirmou à ANBA que a exposição ajuda a contar a história da rua 25 de Março, para a qual a estação São Bento dá acesso. A rua é símbolo da comunidade árabe e foi onde os primeiros imigrantes abriram suas lojas quando começaram a chegar ao Brasil, no século 19. Pela plataforma onde está a mostra passam cerca de 70 mil pessoas por dia, de acordo com Noer.

Também participaram da abertura da mostra outras personalidades como o arquiteto e urbanista Ruy Ohtake e o vice-presidente de Relações Internacionais da Câmara Árabe, Osmar Chohfi, entre outros.

Serviço:

Exposição “Arte e Artesanato no Mundo Árabe”
De 25 de março a 30 de abril de 2017
Estação São Bento de Metrô (espaço interno) – Linha 1 Azul
De domingo a sexta, das 4h40 às 00h32, e de sábado para domingo, das 4h40 à 1h.
Largo de São Bento, 109 – Centro – São Paulo