ICArabe promove campanha de associados

qui, 30/03/2017 - 22:18
Publicado em:

O Instituto da Cultura Árabe - ICArabe iniciará, neste mês de abril, sua campanha anual de associação.

Os associados podem pagar a anuidade no valor de R$ 300,00 acessando a área do pag seguro deste site (acesse aqui).

A campanha também é direcionada a todos que queiram fazer parte do Instituto, conhecer ou intensificar o contato com a cultura árabe, por meio de cursos, palestras e eventos, entre outros.

Entre as atividades do ICArabe, os associados podem participar da Mostra Mundo Árabe de Cinema, a maior programação voltada ao cinema árabe no Brasil, que em agosto de 2016 teve sua 11ª edição, em parceria com o Sesc-SP, o Centro Cultural Banco do Brasil, o Centro Cultural São Paulo e a Câmara de Comércio Árabe-Brasileira. “Tivemos uma programação de mais de 30 filmes e diversas atividades abertas ao público, como debates com convidados nacionais e internacionais. É um evento consolidado no calendário cultural de São Paulo”, destaca o presidente do ICArabe, Mohamed Habib.   

Outra atividade desenvolvida em 2016 foi o Ciclo de Conversas sobre a Cultura Árabe e Islâmica, em parceria com a Livraria Martins Fontes. Com entrada aberta ao público, contou com palestrantes como Milton Hatoum e Salem Nasser. Além disso, o ICArabe promoveu os cursos “Pérsia Antiga”, com Plínio Freire Gomes, e “Música Árabe: Expressividade e Sutileza”, com Márcia Dib. 

Para este ano, o ICArabe prepara novos ciclos de cursos, não apenas de temas de História e cultura, mas também e, por força da conjuntura geopolítica mundial e os reflexos no Oriente Médio, sobre "O drama do Mundo Árabe - causas, diagnósticos e perspectivas".

Há ainda os projetos em desenvolvimento, como o Al Mahjar - Centro de Estudos da Imigração Árabe no Brasil (veja mais aqui). “O ICArabe está aberto a todos os que acreditam no respeito à diversidade cultural. Queremos unir esforços para a valorização do conhecimento, assim como a integração e a promoção das várias formas de expressão da cultura árabe, antigas e contemporâneas, a fim de encorajar o reconhecimento de sua presença na sociedade brasileira”, conclui o presidente do Instituto.