Ciclo de Conversas sobre Cultura Árabe e Islâmica: Igor Fuser aborda as raízes dos conflitos no Oriente Médio

sex, 23/09/2016 - 13:52

Em mais um encontro promovido pelo ICArabe em parceria com a Livraria Martins Fontes, nesta quinta-feira, 22 de setembro, o professor da Universidade Federal do ABC fez uma análise dos interesses por trás dos conflitos e da visão distorcida do ocidente sobre a região.

Por Arthur Gandini
 
O professor de relações internacionais da UFABC (Universidade Federal do ABC), Igor Fuser, foi o palestrante desta quinta-feira, 22 de setembro, do Ciclo de Conversas sobre Cultura Árabe e Islâmica, parceria do ICArabe com a Livraria Martins Fontes. O autor de livros sobre a geopolítica internacional discorreu sobre o tema “As raízes dos conflitos no Oriente Médio” no auditório da unidade da livraria da Avenida Paulista, em São Paulo.

“Por que há tanta violência no Oriente Médio? É um tema que dá origem ao preconceito. É frequente relacionar à religião e à cultura”, questionou o professor.

Fuser abordou o histórico da região e elencou fatores que influenciam o agravamento da tensão. “Você vê aí uma proliferação de conflitos que vão ganhando proporções maiores porque a quantidade de armas é maior e também a tecnologia”, disse. “Há o agravamento do conflito palestino e o interesse por petróleo dos Estados Unidos. A Primavera Árabe derrubou aquele mito de que o povo árabe é passivo, mas também serviu de estopim para outros conflitos”, analisou.

Para o professor, é importante promover a discussão do tema no Brasil. “O ICArabe desempenha um papel importantíssimo ao desconstruir os preconceitos em relação aos árabes e à religião muçulmana. É uma pena que as informações quase todas cheguem (ao país) através das imprensas europeia e estadunidense, que tendem a apresentar uma leitura parcial a partir dos governos e empresas”, afirmou. “Apesar disso, o brasileiro – especialmente o que tem um grau mínimo de informação – costuma ser muito mente aberta quando se promovem eventos”, disse.

O bancário Ricardo Rodrigues, 34, gostou da palestra. “Foi bastante esclarecedor. As informações que tenho são mais dos meios de comunicação. Quando a gente ouve um especialista, vê que muita coisa não é verdade. Quero me aproximar mais do Instituto e alcançar a verdade”, declarou.

O Ciclo tem coordenação de Heloisa Abreu Dib Julien, secretária geral do ICArabe, com apoio de Natalia Nahas Carneiro Maia Calfat, Jamile Abou Nouh e Yasmin Fahs.