12ª Mostra Mundo Árabe de Cinema: abertura com público consolidado e filme inédito

sex, 11/08/2017 - 12:49
Publicado em:

 

Com exibição do filme “Para Onde Ir? (1957)”, do diretor George Nasser, e presença do diretor libanês Rami Nihawi, a 12ª da Mostra Mundo Árabe de Cinema foi aberta nesta quarta-feira, 9 de agosto, no Cinesesc. O público que lotou a sala pode assistir a um clássico do cinema libanês e se emocionar com um tema integrante da História de nosso país: a migração árabe, que ajudou a construir nossa trajetória.

Realizado pelo ICArabe (Instituto da Cultura Árabe) – ICArabe e pelo Sesc-SP (Serviço Social do Comércio de São Paulo), com copatrocínio da CCAB (Câmara de Comércio Árabe-Brasileira), o evento se tornou um marco cultural para o público paulistano e de todo o país. A edição deste ano conta com 11 filmes inéditos no Brasil, além de um espetáculo árabe e ibérico apresentado pela primeira vez no país no sábado, 12 de agosto, na Sala São Paulo (http://www.mundoarabe2017.icarabe.org/blog/28). A Mostra fica em cartaz até a próxima quarta-feira, dia 16 de agosto.

Imigração: emoção na cerimônia de abertura

“Temos um tema coerente com a conjuntura em que nos colocamos. Os árabes sempre foram nômades por opção própria, pois o ambiente maior mandava fazer aquilo. Eram lições de adaptação cultural e ambiental. Hoje, os árabes são obrigados, diante da destruição de seus lares, a partir para essa vida nômade. O tema tem a ver com o que se passa no mundo hoje”, afirmou o presidente do ICArabe, Mohamed Habib, na abertura do festival, sobre o tema deste ano, “Territórios que nos atravessam”.

Habib também falou sobre o atual momento de crises no mundo, no Oriente Médio e no Brasil e sobre o apelo do público para a realização da Mostra. “Essa programação foi elaborada e começa a ser executada em uma conjuntura muito diferente da que havia nas outras edições. Graças a amigos como Sesc-SP, a Câmara de Comércio Árabe-Brasileira e a Fambras (Federação das Associações Muçulmanas do Brasil), grande apoiadora nossa, conseguimos atender ao pedido do paulistano e do povo brasileiro querendo esta 12ª edição”, comemorou.

A diretora cultural da CCAB, Silvia Antibas, falou sobre a importância de mostrar no país a cultura árabe e o seu modo de pensar e contou ter ficado emocionada com o filme de abertura. “Fiquei imaginando meu pai naquela situação. Meus pais e avós, tanto da Síria quanto do Líbano, naquela situação de identidade quando retornam (à terra natal). É muito emocionante”, afirmou.

publico
Público na abertura: evento consolidado no calendário cultural de são Paulo

Público e cultura árabe

O convidado especial da Mostra, o libanês Rami Nihawi, que é diretor e roteirista do filme “Yamo (2011)” e produtor de “Fora de Quadro: Revolução até a vitória (2016)”, ambos na programação deste ano, saudou a plateia: “Agradeço pela alegria de estar aqui. Espero encontrar e conversar com todos vocês nas atividades da Mostra”, afirmou.

Para o curador do festival, Geraldo Adriano Campos, a iniciativa já conquistou o público no país. “Já há um público para o cinema árabe no Brasil e uma demanda imensa, não só pelo cinema, mas pela arte que nos mostra as contribuições históricas da cultura árabe. É importante dizer que essas contribuições não se resumem às de séculos atrás, ela é viva, rica e diversificada no mundo árabe hoje. Essa Mostra planeja trazer esse contato com essa produção contemporânea”, afirmou.

O curador também falou sobre como o tema da Mostra busca discutir a cultura árabe também a partir da experiência brasileira. “A experiência da curadoria é sempre achar os elos de conexão entre as obras que são apresentadas”, ressaltou. O filme da abertura, um marco do cinema árabe, discute a questão do território. O filme conta a história de uma família libanesa de um pequeno povoado do país, do qual o pai decidiu emigrar para o Brasil para tentar uma vida melhor. Ao retornar 20 anos depois sem dar notícias e na miséria, confronta-se com o drama da família para sobreviver e a intenção do filho de cometer o mesmo erro que o pai. A produção, que completa 60 anos, foi o primeiro filme libanês exibido em Cannes e foi restaurado digitalmente para a exibição no festival, até hoje inédito no Brasil.

Clique aqui e confira toda a programação da Mostra: http://www.mundoarabe2017.icarabe.org/programacao

 

diretoria
Membros da Diretoria do ICArabe e convidados
curador
O curador Geraldo Adriano Campos em entrevista à Câmara Árabe TV

plateia