Tese de doutorado sobre Ibn ‘Arabi, de estudiosa brasileira, recebe prêmio na Espanha

sex, 15/12/2017 - 01:41
Publicado em:

 

“O Despertar do Lótus - Terceira coisa e vivência de si em Ibn ‘Arabī”, tese apresentada por Sandra Regina Benato ao Programa de Pós-graduação em Filosofia - Stricto Senso - Doutorado - da Universidade Federal de São Paulo, para obtenção do título de Doutor em Filosofia, recebeu do Prêmio Ibn Arabi Tarjumán Novel. A tese foi orientada pelo Prof. Dr. Jamil Ibrahim Iskandar, membro do Conselho Fiscal do ICArabe,

O prêmio de melhor Tese de Doutorado foi concedido na Espanha pela MIAS-Latina (Muhyidín Ibn Arabí Society – Latina), ligada a MIAS-UK (Muhyidín Ibn Arabí – Reino Unido). Esta entidade mantém uma instituição chamada Muhyidin Ibn Arabi Society, que se dedica somente a estudos e traduções de obras de Ibn Arabi (1165-1240), e é a mais importante do mundo ocidental no âmbito de estudos sobre Ibn Arabí.

Como explica o resumo da tese, “O trabalho desenvolve o conceito de terceira-coisa em Ibn ‘Arabī como o sentido de Identidade centrada na vivência de si. A partir da afirmação simultânea dos pares de correlatos expomos as relações pronominais de sujeito com base nas noções de receptividade, transitividade e analogia que o Šaiḫ estabelece entre o Ser Necessário e o Ser Humano Perfeito. Isso nos possibilita buscar os princípios filosóficos fundamentais para a atualização da Ciência dos Barāziḫ, chamada aqui de Psicosofia, como hermenêutica de individuação e dinâmica de interação no processo da Realidade.”

Ibn ‘Arabī nasceu em Múrcia, al-Andalus (Espanha) em 1165 e faleceu em 1240, em Damasco, na Síria. Deixou em torno de 300 obras4 e tratados sobre teologia, filosofia, psicologia, antropologia, cosmologia, alquimia e hermenêutica alcorânica, que fundamentam a prática espiritual de vários grupos espiritualistas, não exclusivamente muçulmanos. A intensidade de seu testemunho, tanto de sua própria vivência quanto de seus escritos, provocou no meio islâmico todo tipo de reação, desde a mais pia adesão até a mais violenta repulsa, onde é amado ou execrado, mas nunca ignorado.

“Com este prêmio, uma tese da Unifesp é premiada em âmbito internacional e passa a constar do registro dos melhores trabalhos do mundo sobre Ibn Arabi na MIAS-Latina e MIAS-UK”, ressalta Jamil Iskandar.

A tese foi indicada ao prêmio pelo Prof.Dr. Pablo Arias Beneito - conhecido na Europa e nas Américas por ser um grande estudioso de Ibn Arabi - por ocasião de sua participação na banca do exame de qualificação e de defesa de Sandra Regina Benato.

Confira a tese, aqui.