Livro "Árabes no Rio de Janeiro – uma identidade plural" será lançado dia 15 de dezembro no Palácio da Cidade

qui, 18/11/2010 - 11:15
Publicado em:

Histórias curiosas sobre a chegada dos árabes no Brasil, o contexto de origem desses imigrantes, a ocupação espacial no Rio de Janeiro, bem como as atividades econômicas por eles exercidas na cidade serão contadas pela primeira vez em livro. Histórias surpreendentes sobre a chegada dos árabes no Brasil, o contexto de origem desses imigrantes, a ocupação espacial no Rio de Janeiro, bem como as atividades econômicas por eles exercidas na cidade serão contadas pela primeira vez em livro. Árabes no Rio de Janeiro – uma identidade plural, terceiro título da série Imigrantes no Rio de Janeiro, será lançado dia 15 de dezembro, no Palácio da Cidade, no Rio. Escrito pelo antropólogo Paulo Gabriel Hilu da Rocha Pinto, o livro é uma publicação da Editora Cidade Viva, e conta com patrocínio da Light e da Lei Estadual de Incentivo à Cultura do Rio de Janeiro.

Dividido em cinco capítulos, Árabes no Rio de Janeiro – uma identidade plural, traça ainda um panorama do Império Otomano no século XIX, aponta os principais fatores de imigração, a situação da Síria, Líbano e Palestina na primeira metade do século XX , fala sobre a construção das identidades otomana e árabe no Brasil, dedica um capítulo às instituições e a imprensa árabe no Rio de Janeiro e retrata a vida cultural da comunidade árabe na cidade.

“É um livro emocionante, feito de memórias e histórias pessoais. As imagens não são apenas arquivos, são fotos pessoais guardadas nos baús das famílias com as quais conversei”, disse o autor, que coordena o Núcleo de Estudos sobre o Oriente Médio na Universidade Federal Fluminense.

O autor entrevistou também 30 representantes de diferentes gerações e diversas origens e grupos religiosos. Entre os entrevistados, estão Demétrio Habib, criador do Saara, o maior centro de comércio de rua do Rio de Janeiro, o ator de origem síria Mouhamed Harfouch, que usa a identidade árabe no processo criativo de seu trabalho, o criador do curso de letras árabes da UFRJ, monsenhor Alphonse Sabbagh, os deputados federais Jorge Bittar e Jandira Feghali, o escritor Alberto Mussa, entre outras personalidades, além de engenheiros, historiadores, corretores de imóveis, padres e outros cidadãos anônimos.

Imigrantes no Rio de Janeiro - a série descreve com riqueza de detalhes a importante contribuição dos imigrantes das mais diversas nacionalidades para a formação cultural e econômica da cidade. O primeiro volume abordou a imigração portuguesa, seguido por um livro sobre a imigração judaica. Árabes no Rio de Janeiro – uma identidade plural compõe o terceiro título da série.

“Os três ensaios indicam que as trajetórias cariocas dos imigrantes portugueses, árabes e judeus têm mais em comum do que se poderia crer”, observa o idealizador da série, Mozart Vitor Serra. “Ao chegar ao Rio, eles adotaram estratégias semelhantes de inserção na economia e na sociedade, estabelecendo-se em setores da economia cujos requerimentos de investimento eram pequenos ou cujas barreiras à entrada eram limitadas. Os imigrantes se localizam em bairros de aluguéis baratos, conjugando moradia e comércio em uma solução única e conveniente. A similaridade dos relatos pessoais é, nesse sentido, impressionante”.

Para o diretor-presidente da Light, Jerson Kelman, a história da empresa se entrelaça com a história dessas comunidades que encontraram no Rio de Janeiro um bom local para viver. “Ao incentivar esta Série, a Light se mantém alinhada à sua própria trajetória, como empresa que, há mais de 100 anos, vem participando ativamente do desenvolvimento econômico e social desta cidade”, diz Kelman.