Em colóquio da Aliança Francesa, Milton Hatoum é condecorado pela França como Oficial da Ordem das Artes e Letras

qui, 22/02/2018 - 21:42
Publicado em:

 

O escritor Milton Hatoum, sócio benemérito do ICArabe, abriu, nesta quarta-feira, 21 de fevereiro, em São Paulo, o XVIII Colóquio Pedagógico da Aliança Francesa, em um encontro em que abordou sua experiência com a língua e a literatura francesa. 

O escritor, que lançou recentemente o romance A Noite da Espera, é um dos autores nacionais mais traduzidos na França, tendo sido o best-seller brasileiro no Salão do Livro de Paris de 2015.

milton 2
Milton fala ao público no evento da Aliança Francesa, em São Paulo - foto: Clara Zaim

 

milton 3

Hatoum explicou que sua relação com a língua francesa vem de muito longe e lembrou que sua avó materna, libanesa, havia estudado francês em seus país de origem e insistiu para que ele também o fizesse (assista aqui ao vídeo depoimento do escritor durante o evento). 

Na ocasião, a França prestou uma homenagem ao escritor, condecorando-o como Oficial da Ordem das Artes e Letras (Officier de l’Ordre des Arts et Lettres) pelo conjunto de sua obra, em cerimônia realizada pelo Embaixador da França no Brasil, Michel Miraillet.

Ordem das Artes e Letras

A condecoração da Ordem das Artes e Letras francesa é destinada a recompensar profissionais do domínio artístico e literário que contribuíram e influenciaram as artes e letras na França e no mundo.

Estabelecida em 1957, a honraria foi criada pelo Ministério da Cultura francesa e possui três distinções: Cavaleiro, Oficial e Comandante. Já foram condecorados pela Ordem das Artes e Letras nomes da literatura como T. S. Eliot e Jorge Luis Borges, e brasileiros como o arquiteto Paulo Mendes da Rocha, os designers irmãos Campana e o banqueiro e colecionador de arte contemporânea José Olympio Pereira.

O escritor

Milton Hatoum nasceu em 1952 em Manaus. Estudou arquitetura na USP e pós-graduação na Universidade de Paris III. Durante sua permanência na Universidade Federal do Amazonas, lecionou língua e literatura francesa. Estreou na ficção com Relato de um Certo Oriente, publicado em 1989 e vencedor do prêmio Jabuti de melhor romance do ano. No ano 2000, o romance Dois Irmãos lhe garantiu um novo prêmio Jabuti e o mesmo foi traduzido para doze idiomas, além de ter sido adaptado para a TV, teatro e quadrinhos. Com Cinzas do Norte, de 2005, Hatoum ganhou os prêmios Jabuti, Bravo!, APCA e Portugal Telecom. Em 2006, lançou A Cidade Ilhada, uma reunião de contos breves. Em 2008, sua primeira novela, Órfãos do Eldorado, foi adaptada para o cinema, e, em 2013, teve suas crônicas reunidas em Um Solitário à Espreita.