Coral de crianças refugiadas apresenta concertos de Natal em São Paulo com apoio e regência de João Carlos Martins

seg, 05/12/2016 - 14:21
Publicado em:

Foto: Débora Peroni - Exposição Coral Somos Iguais 

Nos dias 16, 17 e 18 de dezembro, o Coral Somos Iguais, que é formado por 25 crianças de famílias refugiadas da Síria e África (Congo e Angola), fará apresentações no Teatro Santander, em São Paulo.

A iniciativa é parte do Projeto Humanitário, idealizado pela voluntária de causas sociais Daniela Guimarães com o intuito de auxiliar nas condições de trabalho, saúde, educação e moradia de pessoas que, vítimas de guerras e perseguição, tentam reconstruir suas vidas no Brasil.
 
"O maestro foi de uma generosidade emocionante. Não hesitou um momento e embarcou, trazendo consigo a Fundação Bachiana. Tem sido um sonho, mas temos um longo caminho pela frente", diz Daniela Guimarães, responsável pelo coral e pelo Projeto Humanitário.
 
"Estamos ensaiando há 40 dias e o desenvolvimento tem sido extraordinário", atesta o maestro. "Ter ao lado uma orquestra de ponta é algo que certamente ficará marcado na memória destas crianças para sempre", completa João Carlos, referindo-se à Orquestra Bachiana Filarmônica SESI-SP, da qual é fundador e maestro titular.  "A música tem um poder multiplicador incrível", finaliza.
 
Em sua participação, o coral interpretará, entre outras canções, Se Essa Rua Fosse Minha e The Lord Be Magnified. No programa ainda há músicas eruditas de grandes compositores como Johann Sebastian Bach e repertório dos Três Tenores – Plácido Domingo, Luciano Pavarotti e José Carreras – como Amigos Para Siempree Nessum Dorma. Para percorrer o repertório dos Três Tenores originais, a Bachiana traz três talentosos tenores atuais: Jean William, Marcus Loureiro e Daniel Soufer. No dia 17, domingo, a apresentação conta ainda com participação do cantor Tony Allysson.
 
Para caracterizar o grupo, Amir Slama criou figurino especial. O estilista acompanhou os ensaios e trocou ideais com as próprias crianças, que participaram ativamente para as criações. Além do figurino da apresentação, Slama criou camisetas que serão vendidas, com renda integral direcionada ao projeto.
 
Para contar a trajetória do coral Somos Iguais, será montada uma exposição de fotografia e textos, que os espectadores poderão conferir antes das apresentações. A história está sendo registrada também em vídeo, que irá gerar um documentário em 2017.  
 
Projeto Humanitário e Coral Somos Iguais
 
O Brasil abriga hoje cerca de 9 mil refugiados de 79 nacionalidades e aproximadamente 26 mil solicitantes, de acordo com números do governo federal.
 
O Brasil teve papel pioneiro e de liderança na proteção internacional dos refugiados e é mundialmente reconhecido como um país acolhedor. Aqui, os refugiados encontram acolhimento e calor, característica típica do nosso povo, que não se perde mesmo em tempos desafiadores. Ainda assim, as dificuldades são grandes. Os primeiros obstáculos são a língua e a cultura. Os principais problemas são comuns aos brasileiros: dificuldade em conseguir emprego, acesso à educação e aos serviços públicos de saúde e moradia.
 
A realidade vem sensibilizando e mobilizando cada vez mais e uma das responsáveis pela exposição da situação e engajamento para soluções é a voluntária Daniela Guimarães, que há cerca de um ano conheceu uma família de refugiados sírios.
 
Deste encontro e convívio, nasceu o Projeto Humanitário, programa social independente e voluntário. Desde então, Daniela, junto aos colaboradores que vão se juntando a ela, conseguiu importantes avanços, como a mobilização de recursos para o fornecimento de equipamentos profissionais para promover o trabalho autônomo. Negociações também estão em curso para atendimentos médicos com um grande hospital de referência e já há apoio de outra instituição de renome para a educação com facilitação de bolsas de estudo e da validação de diplomas estrangeiros.
 
O Projeto Humanitário foi reconhecido e ganhou apoio do ACNUR, a Agência da ONU para Refugiados. O Coral Somos Iguais é o passo mais recente e tem como foco principal a moradia.
 
"Além de chamar a atenção e buscar condições básicas para a saúde, moradia, trabalho e educação, o Projeto Humanitário busca integrar de forma efetiva estas famílias à sociedade. Integrar pessoas, culturas, raças, credos. O coral é um exemplo de que isso é possível. Crianças (e suas famílias) de origens e crenças tão distintas, unidas por um passado de violência e juntas pelo sonho do futuro. É a configuração de um novo mundo", diz Daniela.
  
Sobre João Carlos Martins e Bachiana Filarmônica SESI-SP
 
Símbolo de superação e talento, João Carlos Martins iniciou os estudos de piano aos oito anos. Aos dezoito, tocava no exterior. Por problemas de saúde, teve que abandonar o piano em 2002. Mas não deixou a música e retornou aos palcos em 2004 como maestro. Hoje, é regente e diretor artístico da Bachiana Filarmônica SESI-SP – da qual é também idealizador. Junto à Fundação Bachiana, coordena o projeto A Música Venceu, que tem o objetivo de democratizar o acesso à música clássica e contribuir para a formação de crianças e adolescentes carentes.
 
Sobre o ACNUR
 
O ACNUR, a Agência da ONU para Refugiados, foi criado em dezembro de 1950, por resolução da Assembleia Geral da ONU. O ACNUR trabalha para garantir que qualquer pessoa, em caso de necessidade, possa exercer o direito de buscar e obter refúgio em outro país e, caso deseje, regressar ao seu país de origem. Nas últimas décadas, o deslocamento de refugiados cresceu e tomou dimensões mundiais. Estatísticas recentes revelam que mais de 65 milhões de pessoas no mundo foram forçadas a se deslocar em virtude de conflitos, perseguições e violações de direitos humanos. O ACNUR já auxiliou dezenas de milhões de pessoas a recomeçar suas vidas. Por meio de parcerias com centenas de organizações não governamentais, o ACNUR presta assistência e proteção a mais de 60 milhões de pessoas. Ao contrário das demais agências, programas e fundos da ONU, o ACNUR se mantém por meio de contribuições voluntárias dos países e doações arrecadadas junto ao setor privado e doadores individuais.
 
Parceiros do Coral Somos Iguais: João Carlos Martins, Equipe Fundação Bachiana, Ney Marques, Roberto Abud, Equipe ACNUR Brasil, Maria Angela de Azevedo Antunes, Prisicilla Achur, Janea de Barros Penteado, Olivia Anias, Ana Paula Tomita, Amilr Slama, Spezato, L'Ete, Calçados Clovis, Tatiana Calvo, Fernanda Nobre, Débora Peroni, Meiriane Veloso Guimarães, Isabela Pereti, Chanceler Davi Charles Gomes, Reverendo Jorge Correa
 
Serviço

Coral de crianças refugiadas: concertos de Natal com apoio e regência de João Carlos Martins
 
Teatro Santander
16/12 – Sexta-feira – 21h
17/12 – Sábado – 17h e 21h
18/12 – Domingo – 18h
 
Preços
Plateia – R$ 105,00
Plateia Superior – R$ 95,00
Frisa plateia Superior – 95,00
Balcão – 60,00
Frisa Balcão – 60,00
 
*Todos os lugares contam com desconto de 50% para estudantes
*Vendas Online: (Taxa de Conveniência Incluída)
Informações e compras: (11) 4003-1022