Palestras sobre arte e orientalismo encerram Ciclo “Temas da Civilização Islâmica”

sex, 16/12/2016 - 12:07

Aconteceram nos dias 8 e 14 de dezembro as duas últimas palestras do Ciclo “Temas da Civilização Islâmica”, parceria do Instituto da Cultura Árabe com a Livraria Martins Fontes. Ao todo foram oito conferências - de 8 de novembro a 14 de dezembro - com especialistas que apresentaram a cultura árabe e islâmica além dos estereótipos. A coordenação foi de Heloisa Abreu Dib Julien. No dia 8 de dezembro, o historiador Plínio Freire falou sobre o tema “Iluminuras Islâmicas” no auditório da unidade da livraria na avenida Paulista, em São Paulo.

Freire falou sobre a arte nos livros, expressão mais conhecida na arte islâmica, que trata da pintura, encadernação e caligrafia, além do tema da palestra: as iluminuras, pinturas decorativas nos livros. As principais vertentes tratam-se da iluminura árabe – desenvolvida nos séculos XII e XIII e inspirada pelas artes bizantina e persa – e a iluminura persa – que ganhou destaque após o século XIII com influência chinesa, explicou o estudioso.
 
Viagem ao Marrocos
 
Já nesta quarta-feira (14), a pós-doutora em história pela USP (Universidade de São Paulo), Ana Beatriz Demarchi, tratou do tema “Delacroix no Marrocos: um outro Orientalismo?”, a respeito do relato de viagem do pintor Eugène Delacroix ao Marrocos no século XIX.

Ana Beatriz Demarchi, última palestrante do Ciclo
Ana Beatriz Demarchi encerrou o ciclo 

 
“Existia uma necessidade de criar um espaço para os seus desejos”, contextualizou Ana Beatriz sobre o pensamento europeu naquela época que resultava no misticismo sobre o oriente e o colonialismo. A especialista leu relatos de Delacroix sobre sua viagem e ponderou que nem todas as pinturas feitas pelo artista mistificavam o país árabe. Entretanto, Delacroix era um representante da elite francesa. “Ele é um artista do seu tempo, com seus preconceitos. Uma das questões naquele tempo é que os negros não seriam seres humanos”, afirmou sobre a presença de negros nas pinturas. Uma das pinturas analisadas por Ana Beatriz tratou-se de “Les femmes d’Argel (1834)”, que mostra três mulheres brancas sentadas sem afazeres em contraponto a uma mulher negra de pé.
 
A coordenadora do ciclo, Heloisa Abreu Dib Julien, agradeceu ao público pela presença nas palestras e anunciou que um próximo ciclo de palestras deve ter início entre fevereiro e março de 2017. Em breve noticiaremos sobre esta próxima atividade.