“Sem identidade, a vida não tem sentido”, reflete Giacomo Marramao, especialista da Universidade de Roma III em palestra promovida pelo ICArabe e Unifesp

ter, 31/10/2017 - 12:23

 

Nesta segunda, 30 de outubro, a Cátedra Edward Saïd de Estudos da Contemporaneidade, uma parceria entre a Universidade Federal de São Paulo - Unifesp e o Instituto da Cultura Árabe - ICArabe, promoveu uma palestra com o professor de Filosofia Política na Universidade de Roma III, Giacomo Marramao. Realizado no Anfiteatro Leitão da Cunha, da Unifesp, em São Paulo, o encontro é parte do Ciclo de Debates "O Oriente: Identidades e Idealizações", que a Cátedra vem promovendo.

Com o tema “Passagem ao Ocidente”, o intelectual abordou diversos aspectos da globalização, entre eles a questão do fenômeno migratório e conflitos identitários. O bem mais importante de um ser humano, de acordo com Marramao, é a identidade. “Sem identidade a vida não tem sentido e se não tem sentido, morrer é uma decisão  melhor”, refletiu. 

Em sua explanação, Giacomo Marramao relacionou o trabalho de Edward Saïd (intelectual palestino que inspirou a criação do ICArabe) com a globalização. “O orientalismo, que foi analisado de uma maneira extraordinária e atualizada por Saïd, em seu livro clássico, é um elemento constitutivo da ideologia ocidental’, destacou o professor. “Como podemos pensar esse tema na confrontação com o mundo globalizado?”, questionou.

Segundo o intelectual, a globalização é a passagem de todas as civilizações e culturas ao ocidente, tendo o sujeito migrante como protagonista. “Em toda a história os fenômenos migratórios têm participado das transformações na estrutura do mundo”, frisou. “A globalização não produz uma comunidade global, mas uma multiplicação dos fenômenos de desenraizamento”.  

Brasil

Em relação ao Brasil, Giacomo Marramao destacou que há uma discussão filosófica e política que aparece como um indicador relevante para o futuro. “Acredito que há um momento de dificuldade política no Brasil. “O Brasil é um país muito importante. Seria necessário ter um governo forte e ao mesmo tempo democrático, capaz de valorizar todas as potencialidades culturais, cientificas, sociológicas e filosóficas”, disse.

O especialista acrescentou, ainda, que o Brasil é o país mais importante da América Latina e um dos países mais importantes do mundo. “O povo brasileiro é produto de uma longa história de processos de integração entre culturas diferentes, tradições diferentes e religiões diferentes e tem um resultado extraordinário, que tem de ser valorizado”. O Brasil, a cultura e o povo brasileiro são um bem de toda a humanidade não apenas do próprio país”, concluiu.

 "Estou muito feliz de retornar a São Paulo depois de muitos anos”, afirmou o professor, que esteve na cidade para uma única apresentação.

Para Geraldo Adriano Godoy de Campos, curador da Mostra Mundo Árabe de Cinema, do ICArabe e integrante da Cátedra Edward Saïd, foi uma grande honra para a Cátedra receber o professor Giacomo Marramao. “Ele traz ao longo da sua contribuição teórica, uma reflexão muito importante sobre a questão do tempo e da política”, ressaltou. Geraldo Godoy explica que a palestra foi baseada no livro chamado ‘A passagem ao ocidente’ no qual ele dialoga diretamente coma obra de Saïd “a partir da compreensão do ocidente como um processo de produção da questão do dualismo como elemento constitutivo da experiência ocidental”, disse. “Há uma necessidade de uma revolução cultural do próprio ocidente pela incapacidade do capital global de ser produtor de formas de vida”.