Uma revista acadêmica para o Líbano e o Oriente Médio

seg, 19/09/2016 - 13:44

Professores, doutores, acadêmicos e especialistas em cultura e história árabe acabam de ganhar um importante espaço para a divulgação de seu trabalho no Brasil. A revista eletrônica acadêmica ‘Ipsis Libanis’ (www.icbl.com.br/ipsislibanis) entrou no ar esta quinta-feira (01) para promover artigos científicos sobre o Líbano e sobre os países árabes em geral.

A publicação é coordenada pelo Instituto de Cultura Brasil Líbano (Icbl) e, segundo sua vice-presidente, Katia Chalita, vem atender a um interesse antigo de profissionais que trabalham com a temática árabe. “As pessoas do meio acadêmico demandavam uma revista”, aponta. A ‘Ipsis Libanis’ irá abordar temas ligados à cultura, história, literatura libanesa e árabe, linguagem e outros assuntos relacionados a humanidades daquela região.

O artigo de capa da primeira edição, ‘Os diferentes caminhos do pensamento político árabe e islâmico do século 19 ao século 21’ foi escrito por Hoda Nehme, decana da Faculdade de Filosofia e de Ciências Humanas da Universidade Saint-Esprit de Kaslik (Usek), do Líbano. O texto foi baseado na palestra feita por Nehme em junho no Rio de Janeiro.

Chalita destaca ainda a importância da universidade libanesa no lançamento da ‘Ipsis Libanis’. Segundo ela, a realização da revista é baseada em “uma importante parceria internacional com o Centro de Estudos e Culturas da América Latina (Cecal) da Usek”, dirigido pelo brasileiro Roberto Khatlab.

A primeira edição da revista traz oito artigos de escritores acadêmicos do Brasil e do Líbano. Os textos abordam, entre outros assuntos, a sharia (lei islâmica), os mascates em São Paulo e uma análise sobre brasileiros e libaneses que foram viver uns no país dos outros.

A ‘Ipsis Libanis’ será uma revista trimestral e terá artigos em três línguas: português, inglês e francês, de acordo com o idioma em que for escrito originalmente pelo autor. Cada edição terá de oito a 12 artigos.

sw

“A comunidade acadêmica usa com muita fartura a revista acadêmica. Ela é um fórum de circulação de ideias muito bom”, aponta Chalita. Ela destaca que não só temas ligados ao Líbano, como também aos demais países do Oriente Médio, são bem vindos à revista. A editora responsável pela publicação é professora Muna Omran, doutora em História e Teoria Literária e docente desta especialização na Universidade Federal Fluminense (UFF).