ACNUR promove em Brasília/DF exposição sobre refugiados

qua, 22/05/2019 - 12:06
Publicado em:

Mostra contempla fotos e filmes no Brasília Shopping

Em comemoração ao Dia Mundial do Refugiado, celebrado em 20 de junho, a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) promove no Brasília Shopping, na capital federal, a exposição e mostra de filmes "Faces do Refúgio". A programação, que poderá ser conferida até 2 de junho, conta com uma exposição de fotos e uma mostra com quatro filmes sobre o tema.

A exposição tem entrada gratuita, mas os filmes estão sujeitos à lotação da sala. Os ingressos para cada sessão estarão disponíveis para retirada à partir das 18h no posto de informações do Brasília Shopping. Para mais informações, acesse aqui.

A exposição “Faces do Refúgio” é composta por 52 fotografias feitas por fotógrafos do ACNUR em diferentes partes do mundo. O público conhecerá as principais crises de deslocamento forçado da atualidade, causadas por conflitos em países como Síria, Sudão do Sul, República Democrática do Congo e Mianmar. As fotos também contam histórias de superação de crianças, homens e mulheres que tiveram que abandonar suas casas devido a graves violações de direitos humanos e buscam uma oportunidade de reconstruir suas vidas longe de seus países. A curadoria da exposição foi realizada pelo ACNUR em conjunto com o Atelier Vanessa Poitena.

Durante o período, também serão exibidos filmes que mostram a condição dos refugiados de diferentes ângulos: Exodus: de onde eu vim não existe mais; Los silêncios; A linguagem do coração; e Recomeços: sobre mulheres, refúgio e trabalho. (Sinopses e horários abaixo).


Sobre refugiados

Dados do ACNUR indicam que mais de 68 milhões de pessoas no mundo encontram-se atualmente fora dos seus locais de origem devido a guerras, conflitos e perseguições.

De acordo com o Comitê Nacional para os Refugiados (CONARE), o Brasil reconheceu até o final de 2017 um total de 10.145 refugiados de diversas nacionalidades. Destes, 5.134 continuam no país na condição de refugiado, sendo que 52% moram em São Paulo, 17% no Rio de Janeiro e 8% no Paraná. Brasília abriga apenas 329 deles, o equivalente a 1% do total.

Os sírios representam 35% da população refugiada com registro ativo no Brasil. Já os venezuelanos são maioria entre os solicitantes de refúgio, respondendo por mais 17 mil pedidos, o que equivale a cerca de 50% do total.

Serviço:
Exposição Faces do Refúgio
Data: de 20 de maio até 02 de junho                                                                                  
Local: Cúpula Sul e Teatro Brasília Shopping.
Horário de funcionamento: de segunda a sábado (das 6h às 22h) e aos domingos e feriados (das 10h às 22h).

Mostra de filmes

21/05 (terça) e 26/05 (domingo), 19 horas
Êxodos: de onde eu vim não existe mais
Direção: Hank Levine. 105 min. Brasil/Alemanha. 2016. Documentário.
Produtora: Paris Filmes.
Sinopse: A jornada de seis refugiados, leva a uma reflexão sobre o estado do mundo frente às crises que obrigam um número cada vez maior de pessoas a deixarem seus lares para fugir de guerras, epidemias e graves violações dos direitos humanos. Tudo o que elas buscam é um porto seguro para recomeçar suas vidas.

22/05 (quarta) e 25/05 (sábado), 19 horas
Los Silencios
Direção: Beatriz Seigner. 89 minutos. Brasil/Colômbia/França. 2018. Filme.
Produtora: Vitrine Filmes.
Sinopse: Núria, Fábio e sua mãe, Amparo, chegam a uma pequena ilha no meio da Amazônia, fugindo do conflito armado onde o pai desapareceu.  Certo dia, ele reaparece na nova casa. A família é assombrada por esse estranho segredo e descobre que a ilha é povoada por fantasmas.

23/05 (quinta), 19 horas
Recomeços: Sobre Mulheres, Refúgio e Trabalho.
Direção: Felipe Abreu e Thays Prado. 22 min. Brasil, 2017. Minidocumentário.
Sinopse: O filme, de Fellipe Abreu e Thays Prado apresenta as trajetórias e os desafios de dez mulheres que participam do projeto “Empoderando Refugiadas”, do ACNUR.

Linguagem do Coração

Direção: Silvana Nuti. 30 min. Brasil, 2016. Documentário.
Sinopse: A obra retrata as diferentes aspirações e os motivos que levaram pessoas de nacionalidades diversas a buscarem refúgio no Brasil. Com um interessante olhar sobre a acolhida de refugiados em São Paulo. O filme traz depoimentos de pessoas em situação de refúgio e de representantes da sociedade civil que dão uma perspectiva plural e humana do problema.